23 poços exploratórios Offshore em licenciamento podem tornar 2019 o melhor ano desde 2014

  |   Blog

Quatro petroleiras iniciaram em 2018 licenciamento de seis campanhas de perfuração no Ibama até esta quinta-feira (19/7). As campanhas estão programadas para as bacias de Campos, Santos e Foz do Amazonas e estão em licenciamento por Shell, Petrobras, PetroRio e Equinor e podem representar a perfuração de até 23 poços exploratórios, o que pode tornar o próximo ano o melhor para a perfuração offshore desde 2014.
A maior parte do licenciamento para poços, todos exploratórios, é resultado dos leilões de petróleo realizados no último ano. A exceção é a campanha da PetroRio para cinco poços na Foz do Amazonas, em áreas arrematadas na 11a rodada, realizada em 2013.
Desde que decidiu retomar os leilões de blocos exploratórios no país o governo já conseguiu vender a concessão de 44 blocos exploratórios offshore. Nove deles no regime de partilha da produção, vendidos após a aprovação do projeto do senador José Serra (PSDB/SP), que acabou com a operação única da Petrobras no pré-sal. Outros 35 blocos foram arrematados por petroleiras na 14a e 15a rodadas de licitações com áreas de concessão.
Muitas das áreas que foram licitadas nas rodadas de concessão, sobretudo nas bacias de Sergipe-Alagoas, Potiguar e Ceará, ainda estão longe do licenciamento ambiental para a perfuração de poços. Ainda vão precisar da aquisição de dados sísmicos para ampliar o conhecimento da região.
Nas bacias de Campos e Santos, onde o conhecimento geológico e a disponibilidade de dados sísmicos recentes é grande, as petroleiras antecipam seus licenciamentos.